9 dicas para se proteger do câncer de mama

9 dicas para se proteger do câncer de mama

SobrePeso traz lista com informações de ponta em comemoração ao Outubro Rosa.

outubro rosa cancer de mama

Em comemoração ao Outubro Rosa – uma campanha mundial para conscientização sobre o câncer de mama – especialistas da Escola de Medicina da Universidade de Washington, nos EUA, divulgaram algumas dicas para prevenir esta doença tão comum em mulheres. Nós do SobrePeso incluímos algumas outras, e apresentamos aqui 9 dicas para evitar o câncer de mama.

Vale a pena estudá-las. Se descoberto cedo, o câncer de mama é tratável, com taxas de sucesso bastante altas.

No Brasil, o câncer de mama é o de maior incidência em mulheres. Por isso, é fundamental visitar o ginecologista pelo menos uma vez ao ano para checar a saúde e se certificar que tudo está bem com os seios. Vamos agora às dicas?

 

1. APRENDA A FAZER O AUTOEXAME DE MAMA
Um método fácil e rápido de ajudar a descobrir tumores em estágios iniciais é o auto-exame das mamas. Ele é um primeiro sinal de alerta de que algo pode estar errado, estimulando uma visita ao médico para confirmação clínica. Aprenda no vídeo abaixo a realizar o exame do toque.

2. SE POSSÍVEL, AMAMENTE SEUS FILHOS
Além de ser ótimo para o bebê, pesquisas mostram que amamentar por pelo menos 1 ano protege o corpo da mãe contra o câncer mamário.

3. SEJA ATIVA NO DIA-A-DIA
Praticar exercícios físicos e não ser sedentária são dicas de ouro na hora de manter a saúde intacta. E elas valem, também, quando o assunto é câncer de mama. Mulheres que se exercitam pelo menos 30 minutos por dia têm chances menores de desenvolver a doença, de acordo com estudos.

4. MANTENHA O PESO SOB CONTROLE!
Atividades físicas fazem bem para o corpo e também ajudam a perder peso. Isto é importante porque, após a menopausa, as chances de uma mulher desenvolver alguns tipos de câncer (como o de mama) aumentam muito se ela estiver acima do peso.

5. EVITE EXAGERAR NO ÁLCOOL
A gente sabe que um pouquinho (só um pouco!!) de álcool não faz mal, não é mesmo? Especialmente se tomarmos vinhos, repletos de substância que fazem bem à saúde. Porém, muita gente se esquece que o álcool é, no fundo, um “veneno” para o corpo, e doses altas geram uma série de problemas de saúde, inclusive riscos maiores de câncer de mama.

6. PÍLULAS ANTICONCEPCIONAIS PODEM SER UM RISCO
Especialmente após os 35 anos e se a mulher fumar. Algumas pesquisas médicas mostram riscos maiores de cânce de mama em mulheres que tomam estas pílulas. Porém, é bom manter em mente que elas podem trazer, também, benefícios à saúde quando tomadas por muitos anos, como proteção contra câncer de cólon, ovariano e uterino. Se você tiver chances altas de ter câncer de mama, evitar as pílulas pode ser uma boa opção.

beber vinhos mulheres
O álcool pode aumentar as chances de câncer de mama se for tomado com exagero.

7. EVITE TOMAR HORMÔNIOS APÓS A MENOPAUSA
Assim como os anticoncepcionais, os hormônios têm seu lado bom e seu lado ruim para a saúde. Converse com seu médico sobre os possíveis benefícios e malefícios de tomá-los, sabendo que tanto estrogênio “puro” quanto combinado com outros hormônios pode aumentar os riscos de câncer de mama.

8. FIQUE DE OLHO NO HISTÓRICO FAMILIAR
Há um componente genético importante no câncer de mama. Se muitas mulheres na sua família têm ou tiveram a doença, é importante saber para se prevenir. Mulheres que tem mães ou irmãs que desenvolveram câncer de mama ou no ovário (especialmente cedo na vida), ou então que tem parentes (incluindo homens) com câncer de mama, ovariano ou na próstata, devem conversar com o médico sobre métodos preventivos.

9. PENSE EM TOMAR MEDICAMENTOS PREVENTIVOS SE SEU RISCO FOR ALTO
Mais um assunto para conversar com o médico! Se você acha que está em risco alto de ter câncer de mama, fale com um especialista sobre a utilização de dois medicamentos, o tamoxifeno (“Nolvadex“) e o raloxifeno (nome comercial: “Evista“). Estudos demonstraram efeitos positivos na prevenção do câncer. Todavia, eles podem gerar efeitos colaterais também, por isso a conversa com o doutor é essencial.

 

NENHUM COMENTÁRIO

Deixe uma resposta