Cirurgia bariátrica em adolescentes – o que a Ciência nos diz

Cirurgia bariátrica em adolescentes – o que a Ciência nos diz

A cirurgia bariátrica é um método eficaz para combater o sobrepeso em adultos - mas e em adolescentes? O pesquisador Licio Velloso, do OCRC, analisa um recente estudo científico sobre o tema.

cirurgia bariatrica em adolescentes
por Licio A. Velloso*

Aobesidade infanto-juvenil é, hoje, um dos temas que geram maior preocupação com relação à saúde pública no mundo. O desenvolvimento precoce da obesidade tem um impacto negativo muito importante na saúde do adulto. Há risco maior de se desenvolver de forma precoce doenças como diabetes, aterosclerose e hipertensão. Em decorrência disso, adultos que foram crianças obesas têm risco elevado para sofrerem infarto do miocárdio (ataque cardíaco) ou acidente vascular cerebral (derrame) quando ainda relativamente jovens. Existem também evidências de que adultos que foram crianças obesas têm menor rendimento profissional, perdem mais dias de trabalho e custam muito mais para os sistemas de saúde.

Não existe hoje qualquer forma de tratamento para a obesidade que seja mais eficiente que a cirurgia bariátrica. 

Com todas essas informações em mente, pesquisadores têm se empenhado na busca por soluções que previnam o desenvolvimento precoce da obesidade e tratem adequadamente (e com bons resultados) as crianças e adolescentes que já são obesos. Infelizmente, a maior parte das abordagens que tiveram por objetivo modificar o estilo de vida das pessoas, levando-as a se alimentar de forma mais saudável e a praticar mais exercícios, tiveram resultados muito inferiores ao desejável. Assim, como as abordagens terapêuticas disponíveis não são eficientes, pesquisadores decidiram testar um método muito mais invasivo:  a cirurgia bariátrica.

 

CIRURGIA BARIÁTRICA EM ADOLESCENTES – UM MÉTODO EFICAZ PARA REDUZIR O SOBREPESO?

adolescente obesa fazendo exercicios fisicos

A cirurgia bariátrica é um procedimento aprovado para tratar adultos obesos, desde que estes tenham obesidade grave [índice de massa corporal (IMC) maior que 40] ou que tenham obesidade moderada (IMC maior que 35), porém com alguma doença que aumente o risco cardiovascular, como hipertensão arterial, diabetes ou aterosclerose.

O IMC é calculado da seguinte forma = peso (kg)/altura (m)2

Não existe hoje qualquer forma de tratamento para a obesidade que seja mais eficiente que a cirurgia bariátrica. Entretanto, a cirurgia bariátrica não é isenta de riscos. Existe o risco intra-operatório, como problemas com anestesia, ou um sangramento excessivo que seja difícil de ser controlado pelo cirurgião. Existe o risco pós-operatório imediato, por exemplo, infecções ou sangramentos tardios. E existe ainda o risco tardio, como por exemplo deficiências de vitaminas e nutrientes (por causa das modificações cirúrgicas do estômago e intestino, o paciente passa a ter deficiência na absorção de algumas vitaminas e nutrientes).

Os benefícios da cirurgia bariátrica para pessoas obesas é comprovado em diversos estudos científicos, sempre realizados com adultos. Agora, uma nova pesquisa estudou sua eficácia entre os jovens.

Mesmo considerando todos estes riscos, ainda assim, são inquestionáveis os benefícios trazidos pela cirurgia bariátrica. Entretanto, os estudos que nos levam a tais conclusões foram feitos em adultos. Com o objetivo de avaliar os riscos e benefícios da cirurgia bariátrica em adolescentes, um grupo de pesquisadores norte-americanos avaliou 242 adolescentes obesos que foram submetidos ao procedimento cirúrgico. A idade média dos participantes era 17 anos, o IMC era 53 (ou seja, muito obesos) e 12% deles já manifestava diabetes.

O estudo acompanhou os jovens por três anos após a cirurgia. De forma parecida com o que ocorre em adultos, seis meses após a cirurgia, os jovens já haviam perdido 30% do peso inicial. Ao longo do estudo, houve redução considerável e benéfica dos níveis de glicose e lipídeos (colesterol e triglicerídeos) no sangue. Houve, ainda, redução da pressão arterial e melhora da função dos rins. Além disso, houve indiscutível melhora global na qualidade de vida e na autoestima.

Apesar dos benefícios, alguns problemas apareceram. Os principais detectados foram:

  • deficiências de algumas vitaminas, particularmente vitamina B12, e
  • deficiência de ferritina, uma proteína importante para armazenar ferro no nosso organismo.

 

CONCLUSÕES DO ESTUDO

Os pesquisadores concluíram que, considerando o grau de obesidade e os riscos que esta condição traz a médio e longo prazo, a cirurgia bariátrica surge como uma opção terapêutica eficiente e com baixo risco, podendo ser considerada uma opção terapêutica em adolescentes. As deficiências de vitaminas e microelementos podem ser facilmente repostas, desde que os pacientes sejam adequadamente acompanhados por uma equipe multidisciplinar qualificada.

Assim, enquanto não dispomos de métodos menos invasivos e igualmente ou mais eficientes, a cirurgia bariátrica começa a ser considerada como uma alternativa para o tratamento também dos nossos jovens muito obesos.

 

Principal referência para esta postagem: Inge TH. The New England Journal of Medicine 2016 374:113.
Texto publicado originalmente no blog http://cienciasaudeliciovelloso.blogspot.com.br

 

perfil licio a velloso unicamp
SOBRE O AUTOR:

 

Licio A. Velloso é Professor de Medicina na UNICAMP. Atua nas áreas de obesidade, doenças metabólicas, inflamação e resposta do sistema imune. Autor de mais de 200 artigos científicos. Membro da Academia Brasileira de Ciências e pesquisador do OCRC.

FONTE Blog Ciência & Saúde

NENHUM COMENTÁRIO

Deixe uma resposta