Quanto pesa no bolso tratar a obesidade e o fumo?

Pesquisa coloca em números o quanto uma pessoa acima do peso e quanto um fumante gastam a mais, por ano, tratando da saúde.

“A prevenção é o melhor remédio”, já diziam nossas vovós. E elas tinham razão, especialmente quando consideramos a nossa saúde. Alimentar-se bem, praticar atividades físicas e ter uma rotina saudável são investimentos de curto e longo prazo que fazem bem não somente ao corpo, mas também à conta bancária.

Uma nova pesquisa mostra, de forma bem clara, os benefícios de manter um peso adequado e evitar vícios. Conduzido por pesquisador da Universidade de Illinois, nos EUA, e publicado no periódico Public Health, o estudo aponta o pesado fardo que a obesidade e o cigarro trazem ao bolso das pessoas.

 

ESTAR FORA DE FORMA CUSTA CARO

O trabalho analisou dados de saúde de 126 mil norte-americanos, em dois períodos diferentes: 1998 e 2011.

cuidar da saude custa caroAo longo destes treze anos, os gastos com saúde de uma pessoa obesa e de um fumante subiram, respectivamente, 25 e 30%.

Obesos gastaram, em 2011, 62% a mais em contas de farmácia do que em 1998. No mesmo período, o gasto adicional de fumantes foi de 70%. Isto quer dizer que, se me 1998 uma pessoa obesa gastou 50 dólares por mês na farmácia em medicamentos anti-obesidade, a conta pulou para mais de 80 dólares mensais em 2011.

Tal tendência certamente é refletida aqui no Brasil, onde a inflação dos últimos anos tem feito o preço de muitos remédios subir consideravelmente.

E tem mais: em 2011, um obeso norte-americano investiu, em média, 1.360 dólares anuais em despesas médicas a mais do que uma pessoa não-obesa (ou mais de R$300 por mês). No caso dos fumantes, a média foi de 1.046 dólares a mais do que os não-fumantes.

 

COMPENSA – E MUITO! – CUIDAR BEM DA SAÚDE DESDE CEDO

[quote_box_right]Tratar a obesidade representa gastar R$300 por mês a mais do que uma pessoa com peso normal.[/quote_box_right]

“Se quisermos conter os custos elevados dos tratamentos de saúde, temos que pensar mais em como prevenir a obesidade ao invés de como tratá-la, porque o tratamento é muito mais caro do que a prevenção”, explicou Ruopeng An, autor do estudo. Isto sem contar o tratamento de problemas de saúde comuns a quem fuma, como diversos tipos de câncer, enfisema e bronquite.

Muitas pessoas ainda crêem que cuidar bem da saúde custa caro demais. Afinal, pagar por alimentos menos calóricos e mais naturais pesa no bolso, assim como a conta da academia.

De fato, hoje, comer bem pode sair um pouqinho acima do esperado, dependendo da região onde você mora. Mas pesquisas como esta mostram que, apesar do custo adicional, tal investimento é uma economia enorme quando comparado aos enormes gastos que poderão ser feitos no futuro para curar o corpo dos excessos do presente.

Deixe um comentário

Digite seu comentário
Digite seu nome aqui