Será mesmo que usar Redes Sociais ajuda a emagrecer?

Pesquisa estudou efeito de fóruns e redes sociais da internet no controle do peso. Conheça as vantagens e desvantagens do mundo virtual no controle do peso.

dieta redes sociais

Como a obesidade é um assunto cada vez mais sério e que afeta cada vez mais pessoas no mundo inteiro, cientistas estão buscando novos meios para combatê-la. Desta vez, investigaram se redes sociais voltadas especialmente para a perda de peso, tão usadas atualmente, podem contribuir na luta contra a obesidade. O resultado foi que mídias sociais podem, sim, ajudar seus usuários.

Em estudo publicado esse mês na revista Health Affairs, cientistas do Imperial College London analisaram 12 pesquisas que relacionavam redes sociais com o Índice de Massa Corporal (IMC). No total, 1884 pessoas foram acompanhadas. Dentre elas, 941 usaram as mídias sociais; as demais, não. O grupo que participou das redes voltadas para perda de peso teve uma redução de 0,64% em seu IMC. Para os pesquisadores, o número é modesto, porém significativo.

[quote_right]Quer aprender o que é e como calcular o IMC? Clique aqui![/quote_right]

“Uma das vantagens de redes sociais, quando comparadas com abordagens tradicionais, é a sua praticidade no dia a dia”, diz Hutan Ashrafian, autor principal do estudo. “O sentimento de fazer parte de uma comunidade permite aos pacientes terem o apoio tanto de outros pacientes como de médicos. Eles podem receber conselhos de especialistas sem o custo e a inconveniência de irem até um consultório. Além disso, os médicos podem aconselhar mais de um paciente simultaneamente”.

O estudo aponta também as possíveis desvantagens das redes sociais, como a possibilidade de invasão de privacidade e a necessidade do paciente ter e saber usar a internet. Também é ressaltado que essas redes são ferramentas ainda muito recentes e são necessárias mais pesquisas para entendê-las melhor e para buscar a melhor forma de ajudar quem sofre de obesidade.

“As pesquisas que analisamos foram as primeiras a investigar o papel de redes sociais voltadas para perda de peso”, afirma Ashrafian. “Redes sociais não são a solução para a epidemia de obesidade que vivemos atualmente, mas deveriam ser introduzidas como um elemento na luta contra essa doença nas estratégias de todos os países”.

perda de peso internet

 

CYBERBULLYING

Um dos lados negativos das redes sociais é a possibilidade do cyberbullying de pessoas obesas (isto é, comentários negativos, ofensivos e estigmatização de quem está acima do peso). Um grande estudo com mídias sociais revelou que esse tipo de bullying, infelizmente, é prevalente nas mídias sociais.

A pesquisa, realizada pelo National Institutes of Health dos Estados Unidos, analisou cerca de 1,37 milhões de posts em sites como Twitter, Facebook, Flickr, Youtube e diversos fóruns da Internet, todos contendo pelo menos um dos seguintes termos: “gordo”, “obeso”, “obesidade” e “acima do peso”.

[quote_right]Twitter e Facebook atraíram maior número de posts e também a maior parte dos comentários negativos sobre obesidade[/quote_right]

“Os sites variaram muito quanto ao conteúdo das conversas”, escreveu Wen-ying Sylvia Chou, principal pesquisadora do estudo, em artigo publicado na revista científica Translational Behavioral Medicine. “Twitter e Facebook atraíram maior número de posts e também a maior parte dos comentários negativos sobre obesidade. Já blogs e fóruns tiveram uma quantidade menor de posts, mas com discussões mais aprofundadas sobre os temas”.

Para se ter uma ideia, mais de 90% dos posts analisados foram encontrados no Twitter. E, em média, um em cada 3 tweets continham piadas maliciosas ou letras de música que promoviam estereótipos negativos, principalmente em relação a mulheres.

cyberbullying diabetesOs pesquisadores, porém, acreditam que a própria Internet pode ser usada para aumentar a conscientização sobre o problema do cyberbullying e sobre como essas mensagens negativas podem afetar aqueles que estão acima do peso.

“As mídias sociais não podem ser vistas simplesmente como fontes de criação de estigmas sobre peso, mas também como ambientes de apoio e encorajamento”, afirma Chou.

“Qualquer rede social voltada para prevenção de obesidade precisa ter cuidado ao apresentar o assunto, para evitar estigmas e a sensação de culpa. Afinal de contas, os esforços para prevenção da obesidade precisam empoderar quem busca mudar os seus hábitos”.

 

O cyberbullying afeta principalmente as crianças e jovens, estejam elas acima do peso ou não.

Deixe um comentário

Digite seu comentário
Digite seu nome aqui