Alimentação e suplementação durante a gestação: o que precisamos saber em tempos de COVID-19

A gestação é um período crítico do desenvolvimento que requer muita atenção e cuidados específicos. Pesquisadores buscam quais são as orientações no contexto nutricional e formas de cuidado para gestantes durante a pandemia.

A gestação é um momento muito especial no âmbito nutricional. Durante a gravidez, o organismo da gestante sofre muitas alterações para que possa promover uma gestação saudável, além disso, nesse período ocorre a formação, crescimento e desenvolvimento do feto e da placenta. Para que todas essas adaptações aconteçam de forma natural e adequada é necessário quantidade maiores de alguns nutrientes e um consumo adequado de calorias. Durante a gestação as mulheres têm um aumento da necessidade energética e essas calorias extras são necessárias para que ocorra a formação dos novos tecidos e permita assim, uma gravidez adequada tanto para a mãe, quanto para o feto

A escolha de quais alimentos serão consumidos, com maior frequência no dia a dia dependem de diversos fatores: sociais, econômicos, culturais, regionais, religiosos entre outros, portanto, para se garantir uma alimentação de qualidade, todos esses aspectos devem ser levados em consideração. Entretanto, dentro de todos esses parâmetros individuais, há uma regra básica de orientação extremamente importante: faça como base alimentar o consumo de alimentos naturais como cereais, tubérculos, leguminosas, vegetais, frutas, carnes e ovos e evite ao máximo o consumo de alimentos industrializados, que são mais processados, normalmente ricos em açúcares, gorduras, sal, corantes e conservantes. Alguns exemplos desses produtos são: macarrão instantâneo, carnes processadas (salsicha, presunto, mortadela, peito de peru), produtos lácteos ricos em açúcares e corantes, biscoitos e salgadinhos de pacote.

Muitas vezes acredita-se que os alimentos diet e light são alimentos saudáveis por não conterem determinados componentes (calorias, açúcares ou gorduras) ou por terem suas quantidades reduzidas, no entanto o uso destes devem ser evitados pelas gestantes, uma vez que podem conter adoçantes artificiais e acréscimo de outras substâncias que são prejudiciais. Os produtos ultraprocessados podem conter ingredientes nocivos à saúde da gestante e ao desenvolvimento adequado do feto, assim, a ingestão desse grupo de alimentos deve ser evitada. Portanto, manter uma alimentação diversificada, equilibrada, rica em nutrientes provindos de comida de verdade é fundamental para uma gestação saudável.

Existem orientações de uso de suplementos durante a gestação, porém não devemos esquecer que a alimentação saudável e balanceada sempre será a principal e mais importante fonte de nutrientes. A indicação de suplementos é apenas para complementar algum componente essencial que é importante para o seguimento adequado da gestação, mas é uma condição muito individual e deve ser feita sob orientação de um profissional de saúde. Os suplementos mais comumente utilizados são o ferro e o ácido fólico.

O que mudou com o COVID-19?

Com a aparição do novo CORONAVÍRUS configurou-se uma pandemia e, com isso, foram necessárias diversas mudanças habituais em pontos do cotidiano com o propósito de minimizar a disseminação do vírus e os problemas trazidos por ele. Os atendimentos médicos foram modificados de uma maneira geral, mas as gestantes continuam com seu pré-natal garantido.

Essa situação originou novas pesquisas buscando avaliar se a pandemia poderia mudar as necessidades de suplementação durante a gestação para proteger as gestantes da COVID-19. Mas não há evidências científicas de que um suplemento ou um alimento específico reduza as chances de contaminação ou transmissão do SARS-CoV-2 em gestantes ou em outros grupos populacionais. Além disso, também não há dados significativos sobre mulheres grávidas serem mais suscetíveis à infecção por COVID-19 ou a desenvolverem a doença de forma mais grave que a população geral. O que a ciência demonstrou até o momento é que a amamentação fornece baixo risco de transmissão do vírus.

Um ponto importante é que estudos prévios à COVID-19 demonstram que o uso excessivo de medicamentos durante a gestação podem envolver complicações metabólicas tanto no feto quanto no desenvolvimento após o nascimento, portanto, a recomendação é que gestantes cumpram todas as medidas possíveis para evitar o contato com o vírus: ficar em casa sempre que possível; quando for necessário sair que use máscara, higienize as mãos com frequência e não levem as mãos ou qualquer objeto à boca, nariz ou olhos; não participar de aglomerações; é necessário que toda a família se envolva nesse processo de proteção à gestante, evitando que ela se contamine e seja indicado o uso de diversos medicamentos, necessários para o tratamento da COVID-19, durante o período gestacional.

Considerando que a gravidez é um período em que está ocorrendo modificações importantes no organismo é essencial que nesse momento a gestante faça o consumo de alimentos mais naturais e variados. Com a aparição do novo CORONAVÍRUS é importante lembrar de higienizar corretamente todos os alimentos antes de serem armazenados e consumidos: lavar com sabão ou deixar de molho em solução de água sanitária (de acordo com as normas descritas na embalagem) e enxaguar em água corrente, ou utilizar álcool 70%. Após a secagem dos alimentos eles podem ser guardados na geladeira ou armário e estão seguros para o consumo.

Assim, uma importante orientação para gestantes durante a pandemia é que tanto as afetadas pela COVID-19 quanto as não afetadas, continuem seguindo as rotinas de acompanhamento médico, assim, caso seja necessária alguma modificação específica será observado pelo profissional que a atende e serão feitas as orientações/alterações individuais de acordo com as necessidades de cada gestante.

Referências

ANDRADE, A. C. dos S. P. et al. Pandemia do Coronavírus Recomendações para Gestantes e Puérperas. n. 1, p. 74, 2020.

BOTELHO, V. C. S. F. GUIA COM ORIENTAÇÕES NUTRICIONAIS PARA GESTANTES E PUÉRPERAS SOBRE COVID-19: SEGURANÇA ALIMENTAR EM TEMPOS DE PANDEMIA POR CORONAVÍRUS. Disponível em <http://www.unirio.br/ccbs/nutricao/niden/niden-old/arquivo/guia-orientacao-nutriconal-gestante-e-puerpera-sobre-covid-19_prof-valeria-c-s-furtado-botelho> Acesso em 13/10/2020.

CASTRO, P. et al. COVID-19 and Pregnancy: An Overview. Revista Brasileira de Ginecologia e Obstetrícia / RBGO Gynecology and Obstetrics, v. 42, n. 07, p. 420–426, 2020. DOI:10.1055/s-0040-1713408

DASHRAATH, P. et al. Coronavirus disease 2019 (COVID-19) pandemic and pregnancy. American Journal of Obstetrics and Gynecology, v. 222, n. 6, p. 521–531, 2020. DOI:10.1016/j.ajog.2020.03.021

ESTRELA, F. M. et al. Gestantes no contexto da pandemia da COVID-19: reflexões e desafios. Physis: Revista de Saúde Coletiva, v. 30, n. 2, 2020. DOI:10.1590/s0103-73312020300215

GAO, X. et al. Clinical and immunologic features among COVID-19–affected mother–infant pairs: antibodies to SARS-CoV-2 detected in breast milk. New Microbes and New Infections, v. 37, p. 100752, 2020. DOI:10.1016/j.nmni.2020.100752

JUAN, J. et al. Effect of coronavirus disease 2019 (COVID‐19) on maternal, perinatal and neonatal outcome: systematic review. Ultrasound in Obstetrics & Gynecology, v. 56, n. 1, p. 15–27, 2020. DOI:10.1002/uog.22088

RAJEWSKA, A. et al. COVID-19 and pregnancy – where are we now? A review. Journal of Perinatal Medicine, v. 48, n. 5, p. 428–434, 2020. DOI:10.1515/jpm-2020-0132

 

SOBRE AS AUTORAS:

Maíra Schuchter Ferreira
Nutricionista (UFJF), Mestra em Saúde e Nutrição (UFOP), atualmente é aluna de doutorado do Laboratório de Distúrbios do Metabolismo (FCA-Unicamp), vinculado ao Centro de Pesquisa em Obesidade e Comorbidades. Atua em pesquisas de Programação Metabólica com modelos experimentais e estuda os efeitos da obesidade na expressão gênica placentária e nos desfechos fetais.

Josilene Lopes de Oliveira
Nutricionista (UFV), Mestra em Saúde e Nutrição, com ênfase na área de Bioquímica e Fisiopatologia da Nutrição (UFOP), atualmente é aluna de doutorado do Laboratório de Distúrbios do Metabolismo (FCA-Unicamp), vinculado ao Centro de Pesquisa em Obesidade e Comorbidades).  Atua principalmente na área de programação metabólica, doenças crônicas não transmissíveis e distúrbios do metabolismo.

Ana Paula Varela Sanches
Nutricionista (PUC – Campinas), atualmente é aluna de mestrado do Laboratório de Distúrbios do Metabolismo (FCA-Unicamp), vinculado ao Centro de Pesquisa em Obesidade e Comorbidades. Tem experiência na área de programação metabólica e estuda a relação entre a obesidade materna com o desenvolvimento placentário e desfecho fetal.

Deixe um comentário

Digite seu comentário
Digite seu nome aqui