Curar a mente começa no prato, defendem especialistas

Cientistas apresentam dados que confirmam: alguns problemas mentais comuns – como depressão e ansiedade – podem ser curados através de mudanças na dieta.

saude mental alimentos

Se você quiser trazer equilíbrio mental a uma pessoa, comece concertando o que ela come. A orientação, por mais surpreendente que possa parecer, vem de um grupo de especialistas australianos em artigo publicado na última edição da revista científica The Lancet Psychiatry.

De acordo com os pesquisadores, já passou da hora de psiquiatras e responsáveis pela saúde pública entenderem que a dieta que uma pessoa segue e o quão bem nutrida ela está são determinantes para a saúde mental. Esta noção, segundo o artigo, possivelmente ajudará a curar boa parte das mazelas psicológicas que afligem milhões de pessoas em todo o mundo, para as quais os medicamentos tradicionais surtem efeitos limitados.

 

COMO A COMIDA AFETA O CÉREBRO

O trabalho acadêmico lista uma série de pesquisas sobre nutrição e saúde mental, realizadas em todo o mundo, e que concordam em um ponto: a maneira como nós nos alimentamos influencia – e muito! – nosso estado de bem-estar cerebral.

A literatura científica é rica em exemplos de estudos mostrando que seguir uma dieta saudável – repleta de alimentos ricos em nutrientes, como frutas e verduras, e com poucos açúcares e gorduras – é correlacionada a índices menores de depressão em diferentes culturas e idades. Até mesmo as taxas de suicídio são menores entre aqueles que se alimentam bem.

Outro trabalho mencionado pelos pesquisadores australianos, do ano passado, mostra uma clara associação entre maus hábitos alimentares e distúrbios psicológicos em crianças e adolescentes.

peixes e sementes alimentacao
Pratos à base de peixes, folhas verde-escuras, ovos e sementes possuem diversos nutrientes essenciais à boa saúde do cérebro.

 

HORA DE CURAR ATRAVÉS DO PRATO

“A nutrição durante os primeiros meses e anos de vida também aparece como fator de influência no desenvolvimento mental das crianças”, afirmou a pesquisadora Felice Jacka, presidente da Sociedade Internacional de Estudos em Psiquiatria Nutricional e uma das autoras do estudo.

“Deficiências severas de alguns nutrientes essenciais durante os períodos de desenvolvimento são, há muito tempo, relacionadas tanto à depressão quanto a problemas psicóticos”, completou a cientista.

Cabe, agora, aos profissionais da saúde e governos adotarem medidas que estimulem o consumo de alimentos nutritivos e a adoção de uma dieta balanceada, melhorando, assim, a saúde mental da população. A economia em termos de menos remédios utilizados também seria uma vantagem desta abordagem, afirma o estudo.

Dentre estes alimentos que fazem bem à mente estão o ômega-3, vitaminas D e B (especialmente B12 e ácido fólico), ferro, zinco, magnésio e aminoácidos. Veja, a seguir, alguns alimentos fáceis de encontrar nos mercados e que possuem altas quantidades destes nutrientes.

 

ADICIONE À DIETA ALIMENTOS RICOS EM…

  • ÔMEGA-3: linhaça, nozes, sardinhas, salmão, carne vermelha, soja, tofu, camarões, couve, couve-flor.
  • VITAMINA D: cogumelos, peixes oleosos, queijo tofu, derivados do leite, porco, ovos
  • VITAMINA B: fígado, peixes, crustáceos, soja, cereais, queijo, ovos
  • FERRO: carne vermelha (especialmente fígado) e de aves, sardinhas
  • ZINCO: feijões, sementes como nozes, alimentos integrais, carne vermelha e aves, derivados do leite
  • MAGNÉSIO: folhas verdes, banana, iogurte, frutas secas, grãos integrais, abacate, feijões, peixes.

 

Deixe um comentário

Digite seu comentário
Digite seu nome aqui